Dinâmicas de motivação – para melhorar a produtividade e promover o trabalho em equipe

Vote nessa matéria: 1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas6 estrelas7 estrelas8 estrelas9 estrelas10 estrelas

     





Com crise sempre ocorrem demissões. E esta não foi diferente. Tristeza e angústia para quem perde o emprego e muita preocupação para quem fica. Afinal de contas, quem é que não fica com medo de perder o trabalho quando vê seus colegas indo para a rua? Não dá para manter o ânimo, não é mesmo? E para quem foi mandado embora, a situação pode ser ainda pior. Mesmo que consiga um novo emprego, a pessoa certamente passou por um período de muito sofrimento e incertezas, algo que pode minar sua autoconfiança e comprometer seus resultados no trabalho.

Tudo isso faz com que o ambiente nas organizações brasileiras não esteja lá essas coisas. O que pode ser muito ruim para a produtividade e para o trabalho em equipe. Em situações como essa, as pessoas podem ficar mais retraídas e competitivas, menos colaborativas.

Preocupadas com este fato, muitas organizações tem apelado para dinâmicas motivacionais. Existem vários tipos de dinâmicas, cada uma focando em um ou mais aspectos diferentes, mas em geral, existem dois aspectos principais:

  • lúdico: é a dinâmica que envolve brincadeira. Serve para fortalecer os laços entre o grupo, gerar uma amizade entre os membros. Pode ser uma rodinha de samba na equipe, um jogo ou qualquer tipo de brincadeira que foque em cumprir uma determinada tarefa em equipe. Mas fique atento: a tarefa aqui deve ser prazerosa, livre de pressão e com espaço para erros. Numa equipe desmotivada, desfalcada por antigos funcionários e desentrosada com os novos colaboradores contratados após a crise, o objetivo é aliviar a tensão, o estresse. A paz e a confiança mútua devem ser incentivados entre os membros;
  • encorajador: assustar alguém que acabou de perder o emprego ou está com esse medo só vai piorar as coisas. O objetivo desse aspecto é incentivar a pessoa. Passar por uma situação de perigo ou medo sem referências é algo tenebroso para o ser humano, que tende a procurar exemplos em outras pessoas. Mostrar situações de pessoas que superaram dificuldades apesar do medo, especialmente em casos parecidos com os quais os colaboradores estão passando, aumenta a determinação do indivíduo. E, é claro, o mais importante: a dinâmica deve enfatizar os objetivos da empresa e do profissional, para direcionar esforços.

Claro que esses são aspectos gerais. Dependendo da empresa, o aspecto encorajador ou o lúdico podem não funcionar tão bem. Pode ser que a equipe esteja com mau hábito e tenha criado uma cultura, de certa forma, digamos, negligente com o trabalho. Ou pode ser que a equipe tenha sido deixada relaxada demais e tenha que ser exposta às agruras pela qual a empresa está passando para se motivar. Tudo depende do caso e da situação anterior do ambiente de trabalho.

Veja vídeos com alguns exemplos que podem ser usados em dinâmicas de motivação

Essa dinâmica é tipicamente lúdica. O pessoal se juntou para fazer as vezes de uma bateria de escola de samba. Deixar o pessoal conversar após a atividade certamente ajuda.

Este vídeo abaixo, uma palestra de Daniel Godri, não é uma dinâmica. Mas é um exemplo de palestra que pode ser aplicada em uma dinâmica motivacional, que pode ser reforçada com uma atividade de grupo que promova aquilo que está sendo discutido. Veja o tom:

Para completar, o Esotherika.com tem uma boa coleção de vídeos motivacionais, com palestras e dinâmicas. Embora o foco seja educacional, muitos dos exemplos podem ser adaptados ao ambiente corporativo.


Participe! Deixe um comentário sobre esta matéria.

Comentários

  1. dinamica da corente primeiro fazer uma roda e vira

  2. Gostaria de um exemplo de dinâmica para motivação de grupo de sala de aula

Quer realizar um comentário?

*





RSS RSS (comentáos)